2021 Stakeholder Capitalism Forum

6 a 8 de abril

Serão 15 painéis, 15 curadores, e 60 painelistas em três dias de debates. Os curadores tem liberdade de escolher os painelistas, responder a questões chaves e liderar a sessão. Para nós, a governança, diversidade e inclusão são mais do que intenções — são uma prática.

Sobre o evento

ESPM E STAKEHOLDER RELATIONS

À medida que a sociedade evolui, as organizações também. Hoje, stakeholders demandam a corresponsabilidade dos negócios em temas imprescindíveis de sustentabilidade, social e ética. O 2021 Stakeholder Capitalism Forum ‒ pioneiro no Brasil ‒ traz debates práticos e inclusivos, oferecendo aos participantes instrumentos para entender, avaliar e decidir nesse novo capitalismo.

O evento será realizado entre os dias 6 e 8 de abril e contará com a presença de quem sabe porque e como ESG e Stakeholder Capitalism vieram para ficar.

Sobre o Stakeholder Relations

A Stakeholder Relations é dedicada ao trabalho de decisões ESG com o nosso sistema 5A: Adotar, Antecipar, Analisar, Agir e Avançar. Acreditamos em tornar o mundo das relações com os stakeholders melhor: bem-informado, inclusivo e ágil. Unidos por meio da mídia social, stakeholders demandam a corresponsabilidade das organizações em questões imprescindíveis em ESG, institucionais e éticas. Hoje, as organizações inclusivas tomam decisões inclusivas, resultando em prosperidade para todos.

logo-espm

Sobre a ESPM

A ESPM conta com 8 campi nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Florianópolis, oferecendo cursos presenciais, cursos em sistema Live EAD e itinerantes, o que amplia as oportunidades de participação aos estudantes de todo o Brasil. São mais de 600 professores, R$ 20 milhões investidos em pesquisas científicas e 250 livros publicados. Tudo isso é resultado de 70 anos de inovação e aprendizagem, que tem moldado o crescimento da Escola e podem ser traduzidos no reconhecimento como Centro de Ex­celência no ensino de comunicação, marketing e gestão.

Como participar?

Quem pode participar?

Speakers

Inspire-se com especialistas

FAQ

Como um stakeholder é todo aquele impactado por uma decisão de uma organização, o stakeholder capitalism é mais abrangente que  ESG. Stakeholders defendem interesses diversos e imprescindíveis, como estamos vendo em relação a corresponsabilidade das empresas em temas como ética empresarial e tecnológica, por exemplo. O Stakeholder Capitalism vem sendo adotado por instituições mais representativas que vão além do mercado financeiro, como o World Economic Forum.

Porque a ESPM oferece diversos cursos com ênfase em Negócios e entende que o Stakeholder Capitalism  é fundamental para a gestão das organizações, novos modelos de negócios e estratégias com stakeholders em âmbito nacional e internacional e quer estimular a discussão dessa agenda no Brasil.

Guilherme Athia, seu fundador, é pioneiro no Brasil e na Europa em temas de relações com stakeholders e decisão ESG. Ele é professor convidado da ESPM Leadership Academy e da Brussels Diplomatic Academy em Stakeholder Capitalism.

A Denilde Holzhacker, Cientista Política, doutora em Relações Internacionais e Governamentais, Coordenadora do Núcleo de Estudos e Negócios das Américas (NEAM) – ESPM e Pesquisadora do Núcleo de Pesquisa em Relações Internacionais – USP.  O Marcelo Zorovich, doutor em Relações Internacionais e Pesquisador. Professor e Coordenador dos cursos de graduação em Administração de Empresas e de Relações Internacionais da ESPM/SP. A Marielza Cavallari, mestre em Administração de Empresas/Marketing. Professora de Marketing, Estratégia e Comunicação para os cursos de graduação da ESPM/SP e de pós-graduação do Insper. Executiva de Marketing com carreira desenvolvida em empresas multinacionais de bens de consumo.  O Guilherme Athia. Mestre em Relações Internacionais pela Fletcher School. Executivo internacional e membro do conselho

A Denilde, Marcelo, Marielza e Guilherme, juntos com preciosos parceiros, definiram a agenda e convidaram os curadores de cada um dos painéis. Os curadores, por sua vez, escolheram os três panelistas, definiram as perguntas chaves a serem respondidas e têm total liberdade na interação com os participantes.

Todos somos stakeholders. Por isso temos curadores de diferentes visões e experiências, sem restrições do que se pode falar. Não há posicionamentos com base financeira ou comercial. Todos os curadores e organizadores são abertos ao diálogo construtivo com foco em editar e simplificar temas complexos em mensagens práticas e objetivas.